Terça-Feira, 24 de Outubro de 2017 o único semanário da região
 
PUBLICIDADE
Anuncie Aqui
 
Por Redação 18/08/2017 - 17:59:30   |  Atualizado em 18/08/2017 - 17:59:56
 
"Estamos invertendo a lógica em mais de 500 anos de Brasil, agora a mata tem valor em pé"
Todos ganham, o meio ambiente, a sociedade e o proprietário rural
 
Likes:
Shares: 0
Comentários: 0
 
  Curtidas
  Compartilhamentos
 
 

Vereador Juliano Melo, 28 anos, casado, morador de Coqueiros, pecuarista, é formado em enfermagem pela USS | Foto: Cristiano Fabrício |

Juliano Melo, 28 anos, morador de Coqueiros, pecuarista, é formado em enfermagem pela Universidade Severino Sombra e faz parte de uma das famílias mais tradicionais de produtores de tomate de Paty. Vereador reeleito para o segundo mandato com 461 votos pelo PP, e mesmo o Partido tendo eleito apenas 2 vereadores, Juliano se elegeu presidente da Câmara para o biênio 2017/2018. Ele tem a política no sangue. Seu caminho foi longo; no ano de 2000, seu pai foi candidato a vereador, teve uma votação expressiva e ficou com a 2ª suplência. Em 2008 ajudou um amigo do bairro, que teve 411 votos, e não entrou por falta da legenda. Em 2012 foi convidado pelo Otoniel e foi eleito com 226 votos e em 2016, também com Otoniel, se elegeu para o segundo mandato. Juliano sabe que o momento político é péssimo e entende que sua geração precisa se engajar e fazer ressurgir o que a política tem de bom, que é trabalhar para ajudar as pessoas a ter uma vida melhor, e somente com a entrada de gente nova isso será possível. Nesta semana, o Jornal Regional recebeu o presidente da Câmara para uma entrevista, que reportamos a seguir.


Nesse novo mandato, o que o Senhor, como presidente da Câmara e representante da juventude, pensa fazer para incentivar os jovens a participar novamente da política?


Passamos por um momento muito ruim e estamos pagando um preço caro pelas mazelas que maus políticos fizeram ao país, mas vamos reverter isso com a participação popular para varrer essa sujeirada. Para isso, vamos implantar o “Parlamento Juvenil”, trazendo as escolas para dentro da Câmara, para os alunos verem como funciona, como se faz uma lei, e como é a tramitação das matérias do prefeito e dos vereadores. Também queremos implantar o projeto “Câmara nos Bairros,” que é tornar a Câmara itinerante levando-a para todos os bairros do município para ouvir o eleitor, o cidadão, e explicar como ela funciona. No período de recesso, vamos usar as instalações para a cultura, fazendo o “Cinema na Câmara, trazendo exposições, lançamento de livros, etc. Tem gente que nem sabe onde a Câmara de Vereadores fica, e muito menos para que serve. 


Como o Senhor vê o Hospital Luiz Gonzaga, ex-Fundação?


Eu vim agora conversando no carro com um amigo que eu dei carona até aqui na Praça da Bandeira, e ele exatamente veio falando do Hospital, onde foi operado na semana passada, dizendo que foi muito bem atendido e que gostou muito. Eu acho que o André fez a coisa certa, pois teve a coragem de “matar o problema no peito” e resolver diversas situações que precisavam de soluções. Ainda há que melhorar muita coisa, mas eu acho que se a gente for comparar com o que era antes, eu acredito que foi muito bom; com essa mudança, Paty aumentou em 50% o seu repasse, dando também sua contribuição para que os atendimentos e os serviços prestados melhorassem a sua qualidade. E se formos comparar com o atendimento lá do Rio ou da Baixada, não dá nem para começar... é gente deitada no corredor, morrendo sem atendimento... Então eu acho que o hospital Luiz Gonzaga melhorou muito. Ontem mesmo eu estava conversando com Juninho (prefeito) e entramos nesse assunto. Antes, a gente tinha muitos problemas com o acidentado, era uma correria para se conseguir uma transferência e muitas vidas foram perdidas por causa dessa demora.  Hoje já não é mais assim, porque quando ela chega, o acidentado já é logo  transferido  para Vassouras, que é o hospital referência, fato que ajudou muito.    


E os vereadores o que acham?


Teve um dia que a gente estava recebendo muitas reclamações devido à demora do atendimento, e então fizemos uma comissão de vereadores, viemos e conversamos com o diretor do hospital, que é o Eduardo Ralha, que explicou que antigamente muita gente passava mal e ia direto para Vassouras. Hoje, sabendo que ali é o mesmo atendimento de Vassouras, as pessoas estão indo para o Hospital. Nessa noite, a enfermeira disse que há muitas noites que eles chegam a atender mais 150 pessoas  precisando de atendimento. Uma outra coisa que eu observei, há umas duas semanas quando estive no Hospital e vi... é que hoje há a triagem, que não havia antes e isso tem que ter, inclusive em todos os hospitais, pois ajuda muito com a classificação de risco e não por classificação por chegada. Assim, dependendo da situação, o paciente já é encaminhado diretamente para o atendimento e isso era uma coisa que não existia. Mas, de um modo geral, acredito que todos os meus colegas vereadores estão também satisfeitos com as mudanças do hospital Luiz Gonzaga. 


Como está a relação com os vereadores?


Isso é importante. Hoje temos uma Câmara com uma harmonia muito boa entre os 11 vereadores, e já ouvi de muitos funcionários mais antigos, que há muito tempo não viam isso na Câmara. Eu tenho procurado sempre atender a todos os vereadores com igualdade. Tenho procurado também fazer um trabalho diferenciado frente à presidência.  Nesta semana, por exemplo, houve uma polêmica lá na Câmara sobre o transporte escolar dos alunos dos colégios estaduais, que não estava sendo feito pelo estado. Assim, logo convidamos o secretário de Educação para questioná-lo sobre o porquê que esse fato estava acontecendo. É quase sempre dessa forma que resolvemos os problemas, ou seja, com conversa e informação. Inclusive o secretário de Educação já esteve na Câmara em outra ocasião, prestando esclarecimentos a respeito do transporte escolar, que foi quando a VPL saiu e a Clima Tur assumiu o transporte dos alunos do estado. Já esteve também presente na Câmara o secretário de Saúde para falar sobre a demora no atendimento de pessoas que precisavam fazer ressonância magnética, e recebemos também o secretário de Agricultura.  Na semana que vem irá o assessor-executivo, que responde sobre a Ordem Pública (está sem secretário), para esclarecer sobre o transito e sinalização. Eu tenho procurado trabalhar dessa forma, trazendo os secretários para dentro da Câmara, porque  acho que os problemas são melhor resolvidos assim.  


O Plano de Governo do seu partido (PP), que tinha o Otoniel como candidato a prefeito, tinha muitas ideias interessantes, principalmente quanto ao urbanismo da cidade. O Senhor tem usado esse material?


Tenho sim, e logo que assumi o mandato o Otoniel colocou à minha disposição o seu plano de governo, e já fiz algumas Indicações baseadas nas ideias que nosso Plano de Governo defendia.


Que medidas o Senhor acha que pode ajudar a fortalecer o meio ambiente de Paty do Alferes?


Boa pergunta. Estamos com duas frentes de trabalho de enorme relevância e que trará grandes frutos para o meio ambiente do município. A 1ª é o Rio Rural, que é um programa do governo estadual financiado pelo Banco Mundial, que inverte a lógica que vigorou no Brasil durante 500 anos. Até hoje, a mata só tinha valor quando era tombada para se vender a madeira, para abrir pastos ou fazer plantações, muitas vezes usando muito agrotóxico. O Rio Rural trouxe e alavancou também outros projetos como o PSA - Pagamentos por Serviços Ambientais, ou seja, o proprietário é remunerado por manter a mata em pé e assim, quanto mais mata, mais recebe. A 2ª ação é uma legislação moderna que incentiva o proprietário a criar RPPNs - Reserva Particular do Patrimônio Natural - que inclusive foi regulamentada em nosso município através de um anteprojeto de lei de minha autoria. A RPPN é um tipo de Unidade de Conservação prevista na Lei Federal do SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação - e que mais traz ICMS Verde para o município. Por isso, estamos investindo fortemente nessa legislação, apoiando o produtor rural e trazendo-o para ser parceiro do meio ambiente. 


Como o Senhor vê o projeto do prefeito Juninho, que cria o “Ticket Feira” para os servidores municipais?


Acho ótima a idéia, porque ela vai incentivar e muito o pequeno produtor. O “Ticket Feira” será usado na Feira da Agricultura Familiar e Orgânica de Paty, a prefeitura vai dá-lo para todos os servidores da prefeitura e nós, da Câmara, vamos dar para nossos funcionários. O valor do ticket ficará entre R$50,00 e R$100,00 por servidor, e isso deve injetar aproximadamente 1 milhão de reais por ano na agricultura familiar. Por outro lado, o produtor, para fazer parte do projeto, tem que se cadastrar na prefeitura, e no primeiro momento tem que cultivar pelo menos 4 variedades de produtos. Essa quantidade vai subindo até 8 produtos e com a perspectiva de médio prazo, a plantação deverá ser totalmente orgânica.  


Presidente, e para terminar, como ficou o caso do prédio da Câmara?


Em 1989, a prefeitura cedeu o prédio para a Câmara Municipal, e não sei se foi por falta de manutenção, mas o fato é que o prédio foi se deteriorando até ser interditado pela Defesa Civil, na gestão do presidente Cadinho. Quando nós chegamos, o problema já estava colocado e como não temos recursos para restaurá-lo, resolvemos de comum acordo com todos os vereadores, devolvê-lo para a Prefeitura, pois acreditamos que o nosso prefeito terá mais condições de reformar ou destinar este imóvel para alguma instituição que possa recuperá-lo. Assim, fizemos.


 

 
TAGs  
| Vereador Juliano Melo | Paty do Alferes | PP |
 
PUBLICIDADE
Anuncie Aqui
 
Comente  
 
 
Notícias Relacionadas
     
AGRICULTURA - PATY DO ALFERES
Prefeitura de Paty do Alferes e Sebrae promovem palestras técnicas voltadas ao produtor rural
 
 
GESTÃO PÚBLICA - PATY DO ALFERES
Prefeito Juninho Bernardes regulariza Paty do Alferes junto ao Tesouro Nacional
 
 
veja mais...
 
 
PUBLICIDADE
Anuncie Aqui
 
 
PUBLICIDADE
Anuncie Aqui
 
 
Jornal Regional    
Editora Panorama Real Ltda ME    
CNPJ: 21.153.071/0001-02    
     
 
 
Copyright© 2017 - Todos os Direitos Reservados | Proibida a reprodução total ou parcial do conteudo do Jornal Regional para fins comerciais Desenvolvimento: Desenvolvido por RG7 Designer